Inscrições do Congresso
Congresso do Turismo Paulista
Seja um Associado
Newsletter Amitur
Inscreva-se e receba os informativos da AMITur
Banco de Imagens do Estado de São Paulo
Compartilhe
AddThis Social Bookmark Button

Clique nas fotos para ampliá-las

NOTAS DO TURISMO PAULISTA publicadas de 30 de abril a 02 de maio de 2021.

AddThis Social Bookmark Button

HISTÓRIA DE XIRIRICA

Xiririca, em tupi-guarani, era o barulho da água nas corredeiras. Em 1630, exploradores portugueses estavam à procura de veios de outro na região do Rio Ribeira.
Por isso, volta e meia, surgia uma nova povoação ou 'arraial de mineração', então considerados núcleos urbanos instáveis e irregulares.
Por volta de 1750, ergue-se o povoado de Xiririca, cujo nome em tupi-guarani refere-se ao som que a água dos ribeirões produz quando atravessa uma corredeira.
Depois, em 13 de janeiro de 1763, o povoado passou à categoria de 'Freguesia', o que já era um bom reconhecimento para o local.

Na foto: Xiririca, em tupi-guarani, era o barulho da água nas corredeiras.

Leia mais...

 

NOTAS DO TURISMO PAULISTA publicadas de 23 a 25 de abril de 2021.

AddThis Social Bookmark Button

A CAMINHO DA XIRIRICA

Pariquera-Açu (SP).Os portugueses partiam de Cananéia e Iguape em direção à Xiririca.
O trajeto era longo e muito difícil exigindo um ponto de parada para descanso.
O local escolhido ficava às margens do rio Pariquera-Açu, que logo se transformou numa pequena aldeia (hoje com 400 km2).
Um século depois, programas do governo criaram núcleos de imigração, com colonizadores italianos, alemães, húngaros e poloneses, que chegaram em 1895.
Aquele rio Pariquera-Açu deu o nome à cidade só em 1935.
Programe visitar Pariquera-Açu quando a pandemia passar.

Na foto: Pariquera-Açu (SP).

Leia mais...

 

NOTAS DO TURISMO PAULISTA publicadas de 16 a 18 de abril de 2021.

AddThis Social Bookmark Button

SANTANA DE PARNAÍBA

Casa de Anhanguera, em Santana de Parnaíba, SP. O povoado nasceu às margens do Rio Tietê no tempo do governador geral Mem de Sá. O ano era 1561. Mas o povoado só começou crescer a partir de 1625 ao redor da capela ali erguida.
Era uma das bases que os portugueses usavam para a procura de ouro, e hoje faz parte da região metropolitana da capital.
A cidade é Santana de Parnaíba e preserva o seu patrimônio histórico.
Ali estão 209 edificações tombadas pelo Condephaat.
Hoje, um conjunto arquitetônico dos mais importantes pela beleza de suas construções coloniais.
Uma casa bandeirista urbana, imóvel do século XVII, foi transformada no Museu Histórico e Pedagógico 'Casa do Anhanguera', já que ele nasceu na cidade.
A Secretaria de Turismo daquela Prefeitura está bem estruturada para atender os visitantes e dar as demais informações.
Passando esta pandemia atual, visite Santana de Parnaíba.

Leia mais...

 

NOTAS DO TURISMO PAULISTA publicadas de 09 a 11 de abril de 2021.

AddThis Social Bookmark Button

ÁGUA VIVA EM FERNANDÓPOLIS (SP)

 Água Viva Thermas Clube, em Fernandópolis (SP).Fernandópolis é um importante polo turístico, pois faz parte da Região Turística "Maravilhas do Rio Grande" e está localizado sobre o Aquífero Guarani, o maior lençol freático do País.
Em Fernandópolis a água é jorrada a 59ºC e a qualidade termal das águas fernandopolenses potencializa o turismo do município.
Assim, ali temos o "Água Viva Thermas Clube", um parque aquático completo, com águas quentes, mornas e frias, tobogãs, quadras de tênis, quiosque, bar, restaurante, lagoa, pista para caminhada, enfim, uma completa área de lazer.
As águas são minerais termo ativas, analisadas pelo Instituto Adolfo Lutz que testou qualidade puríssima.
Quando terminar a pandemia aproveite para visitar Fernandópolis.

Na foto: Água Viva Thermas Clube, em Fernandópolis (SP).

Leia mais...

 

<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 6 de 150

Desenvolvido por:
Guia comercial Circuito BR 116, ferramenta de desenvolvimento da região